Página Inicial

Liga Futsal: Franqueados querem 20 clubes na LNF 2018


 

Domingo, dia 3, o Joinville derrotou a Assoeva, de Venâncio Aires (RS), na prorrogação, e conquistou o título da Liga Nacional de Futsal (LNF) de 2017. Os clubes franqueados assistiram à final no Cau Hansen e aproveitaram para fazer uma reunião na segunda, dia 4, para definir detalhes da LNF 2018, que começa na segunda quinzena de março.
"Neste ano, contamos com a participação de 17 clubes. Foi a mais difícil Liga Nacional da história, isso foi consenso para todos. Mas os franqueados querem voltar a ter 20 clubes para o ano que vem", comenta Ricardo Ronqui, supervisor do Cresol/Marreco Futsal, que representou o clube e a Cresol, proprietária da vaga na liga. Inclusive, na eleição da nova diretoria, Ricardo ficou no Conselho Fiscal e também como presidente da Comissão de Regulamento e Regimento Interno da LNF.

 

Franquias confirmadas
Até o momento, 17 franquias já confirmaram presença na LNF 2018: Cresol (franquia utilizada pelo Marreco), São Caetano (utilizada pelo Pato Futsal), Minas (vaga própria), Corinthians (vaga própria), São José (vaga própria e volta após um ano licenciado), Intelli (que negocia com Campo Mourão), Athleta (utilizada pelo Magnus, de Sorocaba), Carlos Barbosa (vaga própria), Atlântico de Erechim (vaga própria), Poker (que saiu do Guarapuava e foi para o Foz Cataratas), Krona (utilizada pelo Joinville), Jaraguá (vaga própria), Unisul (utilizada pelo Tubarão), Jaclani (utilizada pelo Joaçaba), Copagril de Marechal (vaga própria), Cascavel (vaga própria e volta após um ano licenciado) e Assoeva (vaga própria). 

 

Concórdia fora
O Concórdia, que utilizava a vaga da Umbro, não vai disputar a competição. Com isso, a Umbro pode se licenciar em 2018 ou negociar o aluguel da vaga com algum clube interessado, que pode ser o Blumenau (SC) ou o Umuarama (PR). O São Paulo, que tem franquia própria e está licenciado desde 2016, confirmou que ainda não volta para a disputa da Liga Nacional.

 

Time de Belém
A Liga Nacional recebeu de volta a franquia do Macaé (RJ), que não montou mais time e excedeu o tempo de licença. Com isso, a entidade convidou a equipe do Shouse, de Belém (PA), para disputar a competição em 2018. "Nós achamos muito interessante que a Liga Nacional saia um pouco do Sul e do Sudeste do País, mas reivindicamos parcerias com hotéis e empresas de linha aérea para subsidiar as despesas dessas viagens mais longas", comenta Ricardo Ronqui.

 

Paraná com cinco ou oito times?
Até o momento, cinco equipes paranaenses estão confirmadas na LNF 2018: Cresol/Marreco, Copagril/Marechal, Pato Futsal, Cascavel e Foz Cataratas. Mas outros três times negociam uma vaga para o ano que vem: o Campo Mourão, que está em conversa com a Intelli, o Umuarama, que trata da possibilidade com a Umbro, e o Guarapuava, que perdeu o vínculo com a Poker, mas pediu para participar como clube convidado. "Na reunião, eu saí em defesa do Guarapuava. Até outro dia, o CAD era um dos times mais respeitados do futsal brasileiro, tinha grandes jogadores. Agora está passando por problemas financeiros, mas quer participar como convidado. Os franqueados começaram a dizer que o ginásio precisa de adequações para voltar e que vai ser difícil. Eu realmente não entendo como um ginásio como o Joaquinzão não pode ter jogos da Liga Nacional, por causa de alguns centímetros no recuo das laterais. E esse critério não se aplica a todos os clubes", comenta Ricardo Ronqui.

 

Marreco perdeu a Supercopa
O Cresol/Marreco era candidato a sediar a primeira edição da Supercopa, que acontece entre os dias 1° e 4 de março de 2018. A competição, que vale vaga na Libertadores, reúne os campões da Taça Brasil (Joinville), Liga Nacional (Joinville), Copa do Brasil (Horizonte/CE) e o clube sede, que vai ser o Magnus, de Sorocaba (SP). Como o Joinville ganhou duas competições, a quarta vaga vai para o Atlântico, de Erechim (RS), vice-campeão da Taça Brasil, que aconteceu em Francisco Beltrão. 
"Nós estávamos concorrendo com mais quatro municípios para sediar a Supercopa: Sorocaba, São Paulo, Joaçaba e Erechim. Mas, conforme a pontuação apresentada pela organização, ficamos atrás principalmente por causa da logística, a falta de um aeroporto, as condições do ginásio e a nossa classificação na Liga Nacional de 2014 a 2017. Então a competição vai acontecer em Sorocaba", justifica Ricardo Ronqui.

 

Calendário 2018
Já estão definidas as datas para as competições de 2018. A Taça Brasil será entre os dias 18 e 23 de junho. A Copagril, de Marechal Cândido Rondon, é forte candidata e deve sediar a competição. O campeão da Série Ouro 2017, Marreco ou Pato, representa o Estado na disputa. A Libertadores da América, que pode acontecer em Carlos Barbosa (RS), será realizada entre os dias 22 e 29 de abril. A Liga Nacional começa na segunda quinzena de março e a final está marcada para os dias 10 e 17 de novembro. As oitavas de final estão programadas para os dias 29 de setembro e 6 de outubro, as quartas para os dias 13 e 20 de outubro e a semifinal para os dias 27 de outubro e 3 de novembro.

 

LNF com o mesmo formato
A Liga Nacional de 2018 vai ter o mesmo formato de 2017, mas talvez com mais clubes. Na primeira fase, as equipes se enfrentam em turno único e as 16 melhores se classificam para as oitavas de final. No mata-mata, são dois jogos, sendo o segundo na casa do time de melhor campanha. Em caso de dois empates ou vitórias alternadas, a disputa vai para a prorrogação. No tempo extra, o empate classifica o time da casa. O que pode mudar é a situação de voltar a fazer 'jogos casados', ou seja, mudar as datas das partidas fora de casa quando as duas partidas forem perto geograficamente. "Isso já era praticado na Liga Nacional anteriormente. Por exemplo, se a gente for jogar em São Paulo contra o Corinthians, podemos aproveitar a viagem e jogar também contra o Magnus, em Sorocaba, que fica perto. Aí economiza em quilometragem, hotel e também no desgaste dos atletas", explica Ricardo.

 

Sinoê recebe prêmio
Esse está sendo um ano muito premiado para o pivô Sinoê, do Cresol/Marreco. Domingo, dia 3, em Joinville, o jogador recebeu o prêmio de melhor pivô da LNF 2017. O atleta também foi o artilheiro da competição, com 15 gols, ao lado de Well, da Intelli.

 

Fonte: Adolfo Pegoraro – Jornal de Beltrão



Voltar
Copyright © 2008-2014. Todos os direitos reservados. Desenvolvido pela FVSOLUÇÕES